200 dias letivos, e agora?

Escrito por

Vivemos mais um começo de ano em nossa vida profissional! É tempo do reencontro com os colegas, das palestras e capacitações, de receber os materiais novos, de fazer o planejamento, etc...  É interessante como “o novo” nos dá ânimo, vigor e disposição!  No entanto, muitas vezes na rotina do dia a dia vamos perdendo esse gostinho de novidade e o brilho nas atividades cotidianas, e assim, nossos sonhos de janeiro para o ano letivo, antes tão coloridos, vão perdendo a cor.

Sugiro aqui alguns passos importantes para que o decorrer do ano não sufoque a nossa força, nossa alegria e nosso chamado para a educação escolar cristã.

1)       Consagre a Deus:

Entender que Deus nos chamou e tem um propósito para nós em sala de aula, é o ponto de partida. Comece o ano consagrando a vida a Deus, pedindo que suas palavras e ações sejam cobertas de sabedoria e amor. Cultive o hábito de orar pelos alunos e por suas famílias, pela escola, pelos colegas professores, pelo seu planejamento. Deus tem prazer em ouvir você. Convide-o para fazer parte de sua sala de aula! E lembre-se sempre que a sala de aula é o seu campo missionário! “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”. Filipenses 4. 6 e 7

2)       Planeje:

O tempo gasto com planejamento no começo do ano é tempo ganho na sala de aula. O ato de planejar revela que nós passamos um momento pensando no melhor para nossos alunos, que consideramos as necessidades deles e o nível da turma. O planejamento revela o compromisso e dedicação do professor com o ensino de qualidade. Ao planejar é importante estarmos cientes da Proposta Pedagógica, dos eventos e atividades escolares. É sábio e útil para todos terem um tempo proveitoso de aula. “...o que ensina, esmere-se no fazê-lo".Rm 12.7

3)       Seja constante com as regras disciplinares:

Todos nós precisamos de regras. Regras são para o nosso bem. Adultos precisam delas e crianças também. Muitas vezes não entendemos a regra, mas ainda assim ela precisa ser cumprida. Muitas vezes nos cansamos de repetir as normas e deixamos de exigi-las, isso é péssimo, pois mostra fragilidade e inconstância. As crianças nos testam até conseguirem o que querem, e em todas as circunstâncias a disciplina consistente é fundamental. Vamos amar nossos alunos ajudando-os a serem obedientes! “Porquanto não se executa logo o juízo sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto para praticar o mal.” Eclesiastes 8.11

4)       Trabalhe com o coletivo:

Gosto de lembrar da história de Neemias e a divisão das tarefas na reconstrução do muro. Cada um executava uma função e do desempenho dela dependia o sucesso do objetivo coletivo.  Na escola é assim também, dependemos uns dos outros. Somos diferentes, atuamos em áreas distintas, mas trabalhamos com o mesmo objetivo, então, precisamos encontrar pontos de concordância na nossa prática e convivência. A conversa franca é o melhor caminho com alunos, pais e colegas professores, sempre permeada de amor cristão. “Acima de tudo, cultivai, com ardor, o amor mútuo, porque o amor cobre uma multidão de pecados”. (I Pedro, 4:8.)

5)        Renove-se:

É fundamental que incorporemos algo novo em nossa prática. Um desafio para nós e para nossos alunos. Algo que nos faça sentir como um novato! Vamos rasgar os planejamentos e projetos antigos, fazer uma lista de eventos pedagógicos que gostaríamos de participar, apresentar a direção, fazer propostas, correr atrás. O professor Howard Hendricks ao ser questionado porque ele vivia estudando, respondeu: “Rapaz, quero que meus alunos bebam as águas correntes de um rio, não a água estagnada de uma lagoa”. Ofereça aos seus alunos o melhor e usufrua você também do prazer de aprender.       (citação do livro Ensinando para transformar vidas, p.16. Ed. Betânia)  

Querido colega professor, lembre-se sempre de que Fiel é Aquele que nos chamou! Temos um período de 200 dias em 2018 para mostrar ao nosso grupo de convivência (colegas, alunos, pais, etc...) a obra do Senhor em nossa vida que a cada dia transforma nosso coração e nossas atitudes. Olhemos para o alto, de lá (do Senhor) vem o renovo para todo o ano. Que a alegria do Senhor seja a nossa força.

Um abraço, Dilean Martins 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.